• O QUE HÁ POR AQUI

    Neste site você encontra assuntos relacionados a Comunicação Social. Além de textos sobre o contexto digital, portfólio de trabalhos realizados e entrevistas concedidas, neste espaço também estão publicados resumos, aulas, vídeos, tutoriais e apresentações para turmas de Pós-Graduação e Graduação em Jornalismo, Publicidade.

  • RÁDIO UNIVERSITÁRIA

    O Projeto Rádio Universitária é um projeto da disciplina de Práticas de WebJornalismo, desenvolvido pelo Prof. Me. Eduardo Natário. O objetivo deste veículo é, além de estudar o assunto Podcast e Rádio Web, publicar os conteúdos produzidos pelos alunos do 4º semestre de jornalismo.

  • PRÁTICAS DE WEBJORNALISMO

    Esta seção foi criada exclusivamente para a publicação dos conteúdos das aulas de Práticas de WebJornalismo. Esta disciplina, oferecida para os alunos do 4 semestre de Jornalismo, tem como objetivo preparar o estudante de comunicação para o novo cenário do Jornalismo Multimídia. As postagens estão relacionadas a produção de vídeo, podcast, aprimoramento de técnicas de fotografia, jornalismo investigativo on-line, e sobre o atual contexto de interações mediadas pelas redes digitais.

  • PRODUÇÃO JORNALÍSTICA

    As postagens identificadas como ‘Produção Jornalística’ trazem conteúdos relacionados a execução prática de um produto criado para Internet. No conteúdo desta disciplina estão textos e tutoriais que permitem a criação de um site, sob plataforma web 2.0, com webpublisher, organização e gerenciamento de conteúdos, desenvolvimento de layout, wireframe, mapa de navegação e todos os demais requisitos para a criação de um produto web profissional.

  • FOTOGRAFIA

    Aqui estão os slides das aulas de Fotografia, lecionadas para as turmas do Bacharelado em Jornalismo e Publicidade. Além dos slides estão aulas especiais, os vídeos passados em aula, infográficos sobre fotografia e aplicativos de simulação de câmera profissional.

sexta-feira, novembro 16, 2018

Vídeos complementares - Web 2.0


Aqui estão dois documentários importantes para nossas aulas. O primeiro deles é sobre Aaron Swartz, um dos inventores do RSS, e o outro é sobre Obsolência Programada.







Documentário sobre Aaron Swartz, um dos inventores do RSS.

 



Documentário sobre Obsolência Programada.





Entrevista sobre o Marco Civil da Internet no Brasil.




Textos extra:

- Mapa ao-vivo de ataques hackers entre países.
Kaspersky Cyberthreat real-time map (matéria do jornal Nexo sobre o assunto)

- O truque da Netflix para não quebrar literalmente a internet no Brasil e no mundo
Sobre o Netflix Open Connect, em matéria do Gizmodo Brasil

- Facebook testa maneiras de facilitar a exibição de notícias hardnews/breaking news
Matéria do Business Insider sobre breaking news em vídeo no Facebook

- Primeiro cabo de internet ligando América do Sul e África chega ao Brasil
Matéria do Olhar Digital sobre novo Backbone intercontinental







quinta-feira, novembro 16, 2017

Pré-Internet, Online, Internet, Web 1.0

PRÉ-INTERNET - ARPANet, acrônimo em inglês de Advanced Research Projects Agency Network (Rede da Agência de Projetos de Pesquisa Avançadas) do Departamento de Defesa dos EUA, foi a primeira rede operacional de computadores à base de comutação de pacotes, e o precursor da Internet.

A 'ARPANet, embrião da Internet, foi uma das primeiras redes da história da Internet atual. Desenvolvida pela agência Americana ARPA (Advanced Research and Projects Agency) em 1969, tinha o objetivo de interligar as bases militares e os departamentos de pesquisa do governo americano, com o objetivo de obter novamente a liderança tecnológica perdida para os soviéticos durante a guerra fria. (leia mais sobre a ARPANet na Wikipédia)


Este sistema garantia a integridade da informação caso uma das conexões da rede sofresse um ataque inimigo, pois o tráfego nela poderia ser automaticamente encaminhado para outras conexões.
O curioso é que raramente a rede sofreu algum ataque inimigo. Em 1991, durante a Guerra do Golfo, certificou-se que esse sistema realmente funcionava, devido à dificuldade dos Estados Unidos de derrubar a rede de comando do Iraque, que usava o mesmo sistema.


Tela do cliente de e-mail 'Pine', visual da Internet antes da era web


Online 1.0 - CompuServe, Prodigy, AOL e BBS (Bulletin Board System: redes locais. Ex. Mandic BBS – Cidade de São Paulo)

O período que chamamos de 'Online', decada de 80, também pode ser identificado 'como a era BBS'

Nos EUA, CompuServe, Prodigy, e AOL eram as principais empresas de serviços de comunicação digital. (A assinatura de noticias dos jornais digitalizados era o principal diferencial, pouco depois também ofereceram acesso e-mail)

• Existiam também as BBS (Bulletin Board System) locais, mas inicialmente nada de www ou web, pois o foco estava nos conteúdos exclusivos dessas redes proprietárias e suas interfaces exclusivas.

• No Brasil a principal BBS foi paulistana Mandic.



---------------------------------------

Quadro de informações.
Exemplo de ilustração do que seria
o avô das home page

INTERNET
- Internet se refere à internet global e pública, disponibilizada pelo protocolo de Internet;
A Internet no Brasil começou pelas universidades, no início da década de 90;
- E-mail (Correio eletrônico), FTP (File Transport Protocol), IRC (Internet Relay Chat); NewsGroup (Grupos de discussão)
- Gopher (Indexador de repositório de informação, é o tataravô do Google); Telnet (protocolo cliente-servidor que permite a comunicação entre computadores em rede).



- Usenet, painel de discussão (NewsGroup) pioneiro na internet, em 2009 completa 30 anos. Atualmente existem os fóruns de discussão com interface web, que equivalem aos NewsGroup existentes na internet. Neste exemplo ao lado ainda não existiam plataformas ou interfaces gráficas navegáveis para utilizar os Grupos. Depois surgiram clientes de web 1.0 para 'baixar' o conteúdos dos NewsGroups. Estes softwares eram muito parecidos com softwares de e-mail.



Telas do Browser Netscape Navigator
WEB 1.0 - WWW= World Wide Web (world = mundo;  wide = amplo;  web = teia)

- Arquitetura baseada em HTML
Hypertext Markup Language (Linguagem de Marcação de Hipertexto)

- Tim Berners-Lee criou o HTML original (e outros protocolos associados como o HTTP), em uma estação NeXTcube (computador da empresa criada por Steve Jobs.)

- Enquanto as redes CompuServe, Prodigy, AOL e BBS locais eram redes fechadas apenas para assinantes, o www era uma interface de hiperdocumentos livre e de acesso gratuito.

- A World Wide Web (que em português significa, "Rede de alcance mundial"; também conhecida como Web e WWW) é um sistema de documentos em hipermídia que são interligados e executados na Internet. Um dos principais componentes do hipertexto é o hiperlink, ou link. (São referências a outras partes deste documento ou a outro documento).

- Nesse contexto de páginas, sites, portais e ‘ambientes navegáveis’ através dos hiperlinks com ambiente agradável de documentos interligados, surgem também conteúdos multimídia, como fotos, vídeos (Realplayer), gifs  animados, conteúdo em áudio.

Tim Berners-Lee, o criador da web
Na WEB 1.0 predomina conteúdo produzido pelas empresas e portais de internet, que segue os moldes da comunicação tradicional UM > TODOS (jornal impresso, TV e rádio), co-existindo com o e-mail, mensageiro instantâneo e chat que seguem o modelo UM > UM.

Sir Timothy John Berners-Lee (Nasceu na Inglaterra, Londres, em 8 de junho de 1955) é o inventor do World Wide Web e diretor do World Wide Web Consortium, que supervisiona o seu desenvolvimento

O NeXT Computer, usado pelo cientista britânico Tim Berners-Lee sendo o primeiro servidor de páginas HTML (páginas web)







Recentemente, Tim Berners-Lee foi considerado um dos maiores gênios vivos do mundo, segundo o levantamento "Top100 Living Geniuses", da consultoria Creators Synectics.







Exemplo de páginas web: Hipertextos com interface navegável, hiperlinks e imagens (web 1.0)







quarta-feira, setembro 27, 2017

Técnica fotográfica I

Na aula de Técnica fotográfica I vamos saber mais sobre as máquinas 'não SLR', sobre o efeito paralaxe que acontece quando usamos este tipo de máquina, e como era fotografar até a década de 90. Mesmo na época dos equipamentos digitais de fotografia, vamos ver como se coloca um filme em uma máquina analógica, e falar sobre SLR x Mirrorless. Nestes slides, temos ainda análise de fotos, contexto e técnicas mais adequadas para fotojornalismo e publicidade.


 


Leia também:
História da fotografia I
História da fotografia II

Técnica fotográfica I
Técnica fotográfica II
Técnica fotográfica III

Infográfico Fotografe fácil
Simulador de câmera fotográfica


quarta-feira, agosto 30, 2017

História da fotografia I

Nesta primeira aula de História da Fotografia vamos falar sobre o início dos primeiros experimentos e observações naturais que nos fizeram chegar ao que conhecemos como fotografia, desde o processo óptico até os primeiros processos químicos, de contato e de fixação da imagem em papel ou outras superficies. Falamos ainda sobre a fotografia como meio de expressão visual e a leitura de imagens como ‘textos visuais'.





Leia também:
História da fotografia I
História da fotografia II

Técnica fotográfica I
Técnica fotográfica II
Técnica fotográfica III

Infográfico Fotografe fácil
Simulador de câmera fotográfica

História da fotografia II

Na aula de História da fotografia II vamos falar sobre as primeiras máquinas fotográficas e como construir uma máquina Pinhole. Vamos saber o que são máquinas SLR, como usar uma máquina profissional, como fotografar com filme em preto e branco, e qual a função do 'espelho' e da 'cortina' em uma máquina SLR. Nessa aula tem ainda uma introdução sobre revelação de filmes e ampliação de fotografias em laboratório.






Leia também:
História da fotografia I
História da fotografia II

Técnica fotográfica I
Técnica fotográfica II
Técnica fotográfica III

Infográfico Fotografe fácil
Simulador de câmera fotográfica

quarta-feira, agosto 16, 2017

O que faz o designer gráfico