segunda-feira, outubro 23, 2017

Instruir, Entreter e Informar



1. INSTRUIR
2. ENTRETER
3. INFORMAR



(Clique na imagem acima para ampliar)


(O Trecho acima foi retirado do livro: Manual de programação de programas da BBC – British Broadcasting Corporation. Ibid ‘Generos e formatos na televisão Brasileira’. José Carlos Aronchi de Souza)

Novela


Entreter: A novela é para o brasileiro um entretenimento barato e está acessível gratuitamente a todos que possuam um aparelho de televisão. A novela sempre traz histórias com romance - de época, contemporâneo ou com foco em humor.

Instruir
: As novelas atuais trazem merchandising social (mostram como parte da trama assuntos como doação de órgãos, campanhas de prevenção à AIDS, câncer, contra o fumo etc..). Quando nas novelas os autores colocam na trama identidades de outros países, mesmo que estereotipados, identificamos esforços no sentido de ‘instrução’ e educação na TV.



-----------------------------------
A televisão também empresta do cinema o formato de construção de roteiros, mas agora, com a facilidade e mobilidade desses equipamentos menores e mais baratos, é possível fazer novas formas de enquadramento e jogos de câmera, com cortes de cena diferentes da linguagem cinematográfica.
-----------------------------------


Roteiro de Christopher Vogler na telenovela brasileira
(baseado na Jornada do Herói Mitológico de Joseph Campbell)


1. O Herói é apresentado no mundo comum, onde recebe um chamado à aventura.
2. Primeiro recusa o chamado, mas num encontro com o mentor é encorajado a fazer a travessia do primeiro limiar e entrar no mundo especial, onde encontra testes, inimigos e aliados.
3. Na aproximação da caverna oculta, cruza um segundo limiar onde enfrenta a provação suprema.
4. Ganha sua recompensa e é perseguido no caminho de volta ao mundo comum.
5. Cruza então o terceiro limiar, experimenta uma ressurreição e é transformado pela experiência.
6. Chega então o momento do retorno com o elixir, a benção ou o tesouro que beneficia o mundo comum.


Sobre o receptor na TV
----------------------------------------
“O pesquisador Mauro Wilton de Souza (1995), no texto ‘Recepção e comunicação: a busca do sujeito’ diz que essa idéia de domínio total é “uma relação que subentende um emissor genérico, macro, sistema rede de veículos de comunicação, e um receptor específico, indivíduo, despojado, fraco, micro, decodificador, consumidor de supérfluos; como se existissem dois pólos que necessariamente se opõem, e não eixos de um processo mais amplo e complexo”, e por isso tais pensamentos são permeados de contradições.”
----------------------------------------
NATÁRIO, Eduardo. “O controle remoto como configurador da interatividade na televisão”.  Dissertação de Mestrado. Universidade Paulista – Unip, São Paulo, 2005


OU SEJA: O RECEPTOR TEM A SUA IMPORTÂNCIA
 NA DECODIFICAÇÃO DAS IMAGENS DA TV

----------------------------------
Videoclipe

O clipe Reptilia, da banda Strokes, mostra planos fechados e um videoclipe feito pensado nas particularidades imagéticas da TV. Clique aqui para ver este clipe na página do YouTube




Clipe: Bad Day - Daniel Powter (acima)
A TV empresta do cinema parte da construção da narrativa para alguns programas como telenovela, reality show, mini séries e videoclipes com histórias (como no exemplo do clipe de Daniel Powder “Bad Day”), mas ainda ‘divide a tela’ fazendo referência a uma das principais características da TV, a FRAGMENTAÇÃO.

Programação fragmentada
- A imagem é fragmentada e os gráficos na tela tornam a imagem não natural. 
- A programação é fragmentada (comerciais)
- Com o controle remoto o espectador fragmenta ainda mais a programação.
- Imagem e som são em baixa definição (meio frio – baixa definição – Marshall McLuhan).
- Na TV a edição/corte não busca a continuidade.

-------------------------------------
Programas de TV

Telejornal
- Instruir, Entreter, Informar
- Nas redes de televisão é necessária uma homogeneização da linguagem (língua ‘média’ –  massa) e de padrões.
- As vinhetas são parecidas para reafirmar a força da rede.
(VÍDEO 01 – vinhetas: Padrão, Pernambuco, Espirito Santo, Pará, Bahia)
- No início do telejornal existe a ESCALADA. Podemos comparar a escalada do telejornal ao índice (do livro), a sinopse (do filme) e as manchetes (do jornal impresso).
(VÍDEO 02 – ESCALADA do telejornal)



Programa de auditório
- Principalmente Entreter
- Banheira do gugu (qual o propósito? – Primeiridade)
- Personagens (reforma da casa, de volta para casa)
- Histórias curiosas
- Shows musicais populares
- Pegadinha (susto, emoção, humilhação)


Programa Policial
- Instruir, Entreter, Informar
- Factual, mostra o dia-a-dia das ruas
- História com personagens
- Prestação de serviço: enchentes, condição do tempo
- Geralmente linguagem apelativa
- A maioria das notícias do programa policial possuem ‘vida curta’
- A maioria das informações é hardnews (notícias quentes)

0 comentários: